Margem de Contribuição: Como achar o preço do meu produto?

Olá pessoal!!! Tudo bem?


Como anda seu negócio? Esperamos, sinceramente, que esteja tudo bem. Mas o que é "bem" pra você? Será que suas vendas estão suprindo suas despesas? E a sua margem? Está alta, baixa ou você não tem ideia?

Você já se perguntou quantos produtos ou serviços você terá que vender para conseguir pagar seu aluguel, sua conta de luz, o fornecedor, funcionários, etc...? Se sim, você está no Blog certo! ;)


Continue lendo o artigo para saber como é possível aplicar o tema ao seu negócio e conseguir alcançar o sucesso.

O Perigo do "Achismo" na Vida do Empreendedor

Seu Francisco é proprietário de uma loja de roupas e acessórios. O seu dia a dia é completamente corrido, quase não sobra tempo para nada. Atender cliente, negociar prazo com fornecedor, efetuar cobranças, ir ao banco para barganhar crédito, criar ações de publicidade e propaganda, organizar o estoque...ufa!!! Para fazer o preço de um determinado produto, Seu Francisco somava seus custos e aplicava um percentual de 50% em cima deles, sendo o preço final X de custo + 50% dos seus custos. Um belo dia as vendas da loja começaram a despencar, Seu Francisco estava sentindo os efeitos de uma crise que assolava o país. Umas das primeiras atitudes que ele tomou foi a criação de uma "promoção" com o objetivo de girar seu estoque que estava encalhado. Tratou imediatamente de baixar seus preços pela metade e fez uma campanha de divulgação. Em poucos dias o movimento da loja começou a aumentar e suas vendas evoluíram. Parabéns Seu Francisco!!!! Uma bela ideia para vender mais. No início do mês seguinte, Seu Francisco estava super empolgado, pois segundo seu caderninho de anotações, a loja havia vendido várias peças. Mas, para seu espanto as despesas e custos superaram as receitas do período. E o velho Chico iniciou sua queda no precipício da inadimplência. Em poucos meses, Seu Francisco não achou outra alternativa a não ser encerrar suas atividades e decretar falência. Gostou da estoria? Ela é mais comum, no Brasil, do que você pode imaginar. Empreendedores por necessidade, acabam sendo dominados pelo monstro do "achismo". Sendo assim, trapaceados pelas suas próprias atitudes sem fundamentos. Uma das primeiras lições que todo empreendedor deve aprender é: como estabelecer o preço venda de cada produto/serviço que comercializa. Isto é fundamental e vital para a empresa e carreira de empreendedor. Não adianta dizer que o preço de um produto/serviço é X, se não é levado em consideração outros fatores como despesas e custos, você está fazendo errado!

O que significa Margem de Contribuição ou Lucro Bruto?

Na caso da loja do Seu Francisco, o mesmo aplicava um percentual de 50% dos custos em todos os produtos para determinar o preço unitário de cada. Mas para saber se o percentual realmente está correto, e se a empresa consegue pagar suas despesas fixas, é necessário calcular sua margem de contribuição. De forma bem objetiva, a margem de contribuição (ou lucro bruto) representa o quanto sobra das vendas para que a empresa possa pagar suas despesas fixas e ainda proporcionar lucro.

Para calcular a margem de contribuição ou lucro bruto, aplicaremos a fórmula abaixo:

MC = PV - (CV + DV)

Onde, MC = Margem de contribuição, PV = Preço de Venda, CV = Custo Variável, DV = Despesa Variável. Sendo assim, no exemplo da loja do Seu Francisco vamos considerar as vendas de um produto como uma camisa que: Preço de Venda = R$ 75,00 => 100% Custo Variável(preço de custo) = R$ 50,00 => 66,7% Despesa Variável(imposto + comissão) = R$ 7,50 => 10% MC = 23,3% Se considerarmos que ele possui Despesas Fixas em torno de 20% das suas vendas, podemos concluir que: Lucro Líquido = MC (23,3%) - DF (20%) = 3,3% Ou seja, o lucro líquido do Seu Francisco é de 3,3% do valor de suas vendas, representando para o produto(camisa) o valor de R$ 2,48 em cada unidade vendida. Analisando mais a fundo, pode-se observar que o lucro do Seu Francisco é relativamente baixo. Mas qual seria a solução para este caso? Bom, seria recomendável que o nosso amigo Chico, intensificasse o seu poder de barganha com seus fornecedores ou com novos fornecedores, baixando o preço de custo das peças. Outra solução seria a redução de suas despesas fixas, negociando o aluguel e racionando energia, entre outras despesas. Vale lembrar que o caso acima representa a Margem de Contribuição unitária, sendo aplicada a um determinado tipo de produto. É importante que cada produto possua sua margem, com isso, é possível a realização de promoções ou ofertas sazonais onde margens de diferentes produtos se complementam sem que haja prejuízo ou não haja lucro líquido na venda. Espero que este post tenha sido de grande utilidade para vocês. Não faça como nosso amigo Francisco, tenha em mente que o seu negócio é um dos bens mais preciosos que você possui não podendo ser tratado com amadorismo. Faça acontecer! Qualquer dúvida basta mandar um e-mail que responderemos de imediato, ok? wesolveconsultoria@gmail.com Até a próxima!!! Também estamos no Facebook e Instagram, segue lá!



Mais postagens
Posts recentes
Arquivo
Tags
Precisa de mais informações?

Estamos aqui para ajudá-lo. Entre em contato por telefone, WhatsApp ou deixe uma mensagem.

logo - whatsapp.png
Balão_de_conversa_-_WeSolve_Consultoria.